FALE CONOSCO    |  CADASTRO     

CAVERNAS DE ARRAIAL DO CABO

Um mergulho pelo interior da Ilha do Farol

Quando se ouve falar em Arraial do Cabo, logo vem à cabeça suas maravilhas naturais. E não é para menos. Privilegiada pela natureza, a tranqüila cidade tem uma das mais belas costas mergulháveis do Brasil, com uma imensa diversidade de espécies e atrativos que incluem até naufrágios. O que pouca gente sabe é que Arraial do Cabo tem um conjunto de grutas e cavernas que proporcionam mergulhos espetaculares para quem tem certificação e treinamento.

Vamos embarcar nesta aventura e conhecer um pouco deste mundo submerso. Quem vai nos levar é Paulo Lopes, proprietário da operadora PL Divers Atividades Subaquáticas e profundo conhecedor da região. Através dele, tivemos a oportunidade de fazer, literalmente, um verdadeiro passeio pelo interior da Ilha do Farol.

Todas as cavernas estão no mar de fora. Saindo pelo Boqueirão, fomos ao encontro da primeira e a mais conhecida delas.

Com uma profundidade mínima de 15m e máxima de 33m na saída, a Gruta Azul já encanta pela beleza da sua entrada aberta na rocha da Ilha do Farol. Mas é lá dentro que estão as maiores surpresas. Com uma penetração de cerca de 80 metros, sendo boa parte com teto, chegamos a um sifão no final do trajeto. Através dele, a luz do sol penetra na gruta e um raio azul rasga a escuridão, iluminando o fundo. Um espetáculo de rara beleza, verdadeiro prêmio para quem se aventura em seu interior.

O mergulho na Gruta Azul reserva ainda outras descobertas. Uma boa dica é explorar o seu grande salão que tem muitos atrativos como tocas e o próprio teto, onde são vistas diversas formações desenhadas na rocha pela ação do mar. É um mergulho que exige extrema técnica e somente deve ser feito com guias experientes e treinamento adequado. Por estar em mar aberto, só é possível em dias calmos.

Gruta da Camarinha

A Camarinha é uma fenda escavada na rocha da Ilha do Farol. Tem aproximadamente 200m de comprimento e cerca de 25m de altura acima do nível do mar. A profundidade mínima é de 9m e máxima de 36m. É um mergulho fantástico, onde temos duas formas de penetração. A primeira, pelo lado mais raso, através da passagem entre duas pedras e fazendo o perfil do fundo até o final, onde vemos a claridade. Na parte do meio, as paredes ficam bem próximas, afastando-se em seguida. O retorno pode ser feito em multinível.

A outra penetração é pela parte mais funda, seguindo em multinível até lado mais raso. No fundo da Camarinha avistamos diversos moluscos e caranguejolas que parecem não se importar com a nossa presença. Uma grande dica é aproveitar a saída pelo lado mais raso e fazer uma visita ao chamado Salão dos Vermelhos; uma seqüência de passagens estreitas entre as rochas que levam a um salão repleto de vermelhos. Acredite: são tantos peixes que quase não dá para entrar. Estas passagens prosseguem até mar aberto. Uma experiência inesquecível.

Assim como a Gruta Azul, o mergulho na Camarinha exige mar completamente calmo, treinamento e certificação adequados.

Caverna dos Ciliares

Os dois primeiros pontos são, sem dúvida, os mais conhecidos de Arraial do Cabo. Mas há outros que devem ser visitados. É o caso da Caverna dos Ciliares. Situada na Enseada da Cachorrinha, tem uma profundidade de 20m e uma penetração de aproximadamente 40m. Sua entrada é estreita, mas sem teto, formando no final, já com a presença de teto, um salão onde costumam habitar muitos ciliares, peixes exuberantes de cor amarelada e um azul intenso e fluorescente. Quem entra primeiro na caverna costuma ver todos repousando.

Como são ariscos, ao menor sinal da luz das lanternas, saem em disparada, deixando o salão apenas para os mergulhadores. Há ainda uma estreita passagem junto ao teto onde, acredita-se, dê acesso a um outro salão, bem mais raso. Entretanto, a forte correnteza e as ondas que explodem do lado de fora da rocha impedem uma exploração mais completa. Na saída, um belo passeio por caminhos de pedra, podendo atingir os 33m, espera os mergulhadores para um multinível pelo costão.

Fenda do Touro

Na mesma Enseada da Cachorrinha encontramos a Fenda do Touro. Estranhando o nome? Você vai entender o porquê. Rasgando a Ilha do Farol, esta é uma fenda que tem cerca de 60m de comprimento com média de 7m de profundidade. Em seu interior habitam inúmeras espécies. Mas o “rodeio” acontece no meio do trajeto onde uma enorme pedra, com o formato do dorso de um touro, é diversão certa. Dá até para montar na pedra e “domar o animal”. Segura peão mergulhador.

O mergulho na Fenda do Touro exige bastante técnica, principalmente pela pouca profundidade, onde a ênfase no equilíbrio hidrostático é fundamental. Embora possa ser realizado por qualquer nível de treinamento, o mar precisa estar calmo. Caso contrário, o fluxo e refluxo torna-se perigoso.

Caverninhas do Ferreiro

Para terminar, mergulhamos nas cavernas situadas no lado oposto da Ilha do Farol. Existem três cavernas nesta enseada. A primeira tem uma profundidade máxima de 17m e uma pequena penetração, onde é possível, sem perda da luz da entrada, explorar grandes buracos na rocha. Segundo Lopes, é comum nestes buracos a presença de tartarugas. Daí o nome de Berço das Tartarugas.

A segunda caverna é a mais complexa das três. Totalmente sob a presença de teto, podemos penetrar até um salão, o qual prossegue adiante, sem ter sido ainda explorado. É preciso atenção nesta caverna, pois, em dado momento, perdemos por completo a visão da saída e a presença da luz. Acredita-se que haja uma conexão entre a segunda e a primeira caverna, porém ainda não foi feita uma exploração neste sentido. A terceira caverna é pequena, porém de um visual deslumbrante.
A Enseada do Ferreiro tem profundidade máxima de 50m e o mergulho nestas cavernas exige treinamento e certificação adequados. Assim como nas outras, o mar deve estar totalmente calmo.

Para quem achava que mergulhar em cavernas era um luxo apenas de outras regiões do país, Arraial do Cabo é um convite aos amantes desta modalidade. A Ilha do Farol reserva ainda muitas outras fendas, grutas e cavernas a serem exploradas. Mas não se esqueça: treinamento é fundamental. Ainda mais em mergulhos no mar, onde as condições podem variar bastante.

Preparem as carretilhas! O verão 2010 está aí e promete grandes descobertas.

Alex Albuquerque
Mergulhador Intro to Cave IANTD
A alguns anos explora as cavernas de Arraial do Cabo, entre outras.