FALE CONOSCO    |  CADASTRO     

Nova Caverna em Arraial do Cabo
17 de Janeiro

Verão pleno:

Dia ensolarado, cidade cheia. Como sempre nessa época, muitos carros se dirigem ao porto.

São 10 da manhã. Sigo pela Avenida Pedro I dirigindo meu carro quando avisto, no sentido contrário, um bugre amarelo que se aproxima. Dirigindo, agitadíssimo, Dimitri me vê e sinaliza gritando ao mesmo tempo: “A cave! A cave!”

Numa rápida parada, dessas durante o trânsito, ele só consegue dizer:
- Achamos uma nova caverna. Precisamos ir lá. Tem que ser hoje.

A essa altura, uma fila de carros, tanto de um lado como de outro, já se manifestava buzinando, mas nós, excitados com a idéia de conhecer um novo ponto aqui mesmo em “nosso quintal”, não percebemos, mas tudo bem. Pedidos de desculpas à parte, marcamos uma reunião às 13 horas a fim de acertar os detalhes para descermos no fim da tarde à caverna.

A história:

No dia anterior, um experiente mergulhador de Arraial, o Jorginho, numa conversa corriqueira, disse que havia conhecido uma nova caverna aqui em Arraial durante um mergulho e que ficava a uns 6 ou 7 metros de profundidade porém, bastante extensa a ponto de não haver conseguido chegar ao fim.

O Planejamento:

Ao ouvir a estória, imediatamente aquela “fome de descobrir”, inerente a todo mergulhador, veio à tona. Reunimos uma equipe experiente composta por Dimitri, Vagner, e eu como mergulhadores, ficando o Pedro no comando da embarcação, o Jorginho como guia para o ponto.

À medida que a hora de partir se aproximava, a excitação aumentava, adrenalina “rolando” e a vontade de ir pra água cada vez maior, crescendo a cada minuto.

O mergulho:

O barco saiu do cais às 16:00, navegando cerca de 25 minutos até o ponto. Durante a navegação, discutimos o planejamento, montamos e checamos o equipamento e definimos quem abriria o grupo (ficando a cargo de Dimitri) seguido pelo Vagner e por fim, eu fechando o grupo.


Caímos na água e logo submergimos. A temperatura era de 12 °C, chegando a 15°C. Uma correnteza relativamente forte agitava um pouco o fundo próximo à entrada da caverna, que estava a aproximadamente 12 metros, e não 6 ou 7, mas conseguimos transpor sem maiores dificuldades. A profundidade máxima de todo o mergulho foi de 15 metros, e em alguns pontos chegava a apenas 4 metros, num relevo de fundo bastante variado.

No início, por cerca de 5 a 7 metros, a passagem era larga, cabendo dois mergulhadores, lado a lado. Após isso diminuía e formava um corredor com passagem suficiente apenas para um mergulhador por uns 20 - 25 metros, onde se reduz ainda mais, dificultando a vida de quem está usando “dupla” ou stages. Chegamos a 40 – 45 metros a uma profundidade de 6 metros, num tempo total de 15 minutos.

Com a passagem já bastante dificultada, e com o tempo de penetração muito próximo do limite inicialmente planejado, resolvemos voltar, e finalizar o mergulho com algumas fotos e filmagem.


Ao retornarmos ao barco, a sensação de bem-estar e euforia era geral. Muitos comentários com a equipe de apoio, conferência, arrumação e acomodação de material que não foi pouco, como duplas de garrafas, lanternas, carretilhas, etc. e... Rumo ao cais, acompanhando um belíssimo por do sol.

Assim, conhecemos mais um incrível ponto de mergulho em Arraial do Cabo.

Agradecimentos:

Agradeço à equipe de apoio e ao Instrutor Paulo Lopes e Dimitri Praet, proprietários da P.L Divers pelo mergulho inesquecível dessa tarde...

Relato de :
Fernando H.R. Figueira
Dive Supervisor PDIC# 102432